Páginas

29 de abr de 2011

Domingo da Ressurreição: Jesus Ressuscitado cura o nosso coração




- Jesus, em tudo que fez, tinha uma intenção.



- Neste sentido, antes de ser crucificado, lavou os pés dos seus discípulos, com a intenção de impactá-los com a mensagem de amor: toda sua vida tinha sido uma pró-existência, uma vida a serviço dos outros, e o mesmo deveríamos fazer em relação ao nosso próximo.



- Também instituiu o Sacramento da Eucaristia na Última Ceia. A Igreja logo entendeu que através do mesmo Ele haveria de continuar atualizando o Sacrifício da Cruz em benefício da salvação de toda humanidade. E em torno deste Santíssimo Sacramento da Eucaristia, a Igreja percebeu que giravam os outros seis, a começar pelo batismo, aquele que abre as portas da salvação, pois associa à pessoa a Jesus Ressuscitado. Por isso na noite do Sábado Santo, na Vigília Pascal, os catecúmenos são batizados e também é feita a renovação das promessas batismais.



- Jesus sempre tinha uma intenção. Ressuscitado dentre os mortos, ele também deixou a entender: a graça supõe a natureza, para experimentarem a força do meu amor e a vitória da ressurreição, além das culpas perdoadas, também é necessário que os corações sejam curados de todos os tipos de feridas e doenças emocionais, como traumas, complexos, sentimentos e pensamentos negativos. Por isso Jesus Ressuscitado nunca realizou cura física ou espiritual, mas somente cura psicoafetiva, a conhecida cura interior.



- Jesus venceu a sepultura e o inferno. Ele entrou lá para derrotar a morte e os demônios. As doenças emocionais tornam-se verdadeiras sepulturas interiores, verdadeiros infernos por dentro que sufocam, cegam, aprisionam, matam e fazem sofrer através de tristezas, angústias, depressões, medos, invejas, ódios, rancores, ressentimentos, crise de sentido, instintos suicidas, necessidades de compensações nos males ao próximo e nos vícios. Os demônios logo percebem essas situações difíceis e aproveitam para oprimir, escravizar e destruir.



- É necessário permitir através da fé que Jesus Ressuscitado, com todo seu amor revelado na cruz do Calvário, entre na nossa vida, passeie mesmo na nossa história, e vá tirando todas as pedras, curando todas as feridas, destruindo todas as sepulturas complexas de morte. Para tirar a pedra da sepultura onde estava, Jesus não encontrou nenhuma dificuldade. Porém, para tirar as pedras das situações de mortes formadas dentro do nosso interior, ele precisa da nossa vontade e do consentimento da nossa liberdade. Por isso, a cura interior é sempre um processo, pois por incrível que pareça, normalmente, é aos poucos que a gente vai permitindo Jesus ir adentrando nas diversas áreas da nossa vida, ir derramando seu amor nos diversos momentos da nossa história; E ele respeita este processo, pois a nossa restauração precisa da nossa livre cooperação.



- Que nesse tempo de páscoa, ao mesmo tempo que celebramos a ressurreição de Jesus e caminhamos para Pentecostes, abramos o nosso coração e deixemos Ele nos curar interiormente. Ele deseja que sejamos felizes, seguros e tenhamos a vida em abundância. Simplesmente nos rendamos ao seu amor, acolhamos o seu Espírito e a sua ação amorosa na nossa história. Amém!



Pe. Marcos Oliveira

27 de abr de 2011

Vigília Pascal: renovação da consagração batismal




 - Mulheres discípulas constatam:

. Sepulcro vazio

. Jesus ressuscitou

. Identidade única: Ressuscitado é o Crucificado

. Mulheres o adoram para anunciá-lo



- Alegrai-vos! Não temais! Jesus Ressuscitado é Sumo Sacerdote, causa de salvação eterna para todos que lhe obedecem (na fé).



- A liberdade nos dá a condição de nos entregarmos a alguém, a Deus ou até mesmo aos demônios. Pelo batismo nos tornamos de Jesus, somos consagrados a ele, postos sob o seu reinado de salvação, enxertados nele para vivermos por ele, com ele e para ele.



- Uma vez em Cristo, da mesma forma como ele morreu para o pecado, nós também morremos para o pecado com Ele, renunciando a tudo aquilo que nos separa da comunhão com Deus, sejam nossas paixões desordenadas, vícios e dizendo não aos demônios e suas obras. Se o salário do pecado é a morte, quando o renunciamos, então começamos a viver. Por isso, quando morremos com Cristo para o pecado, renunciando-o, é lógico que com Ele também ressuscitaremos para a vida.



- Era o que São Paulo dizia: “Não sabeis que todos nós que fomos batizados, consagrado-nos a Cristo Jesus, submergimos em sua morte? Se morremos com Cristo, cremos que também viveremos com ele. Morrendo, morreu para o pecado definitivamente; vivendo, vive para Deus. Da mesma forma vós, considerai-vos mortos para o pecado e vivos para Deus em Cristo Jesus” (Rm 6,3-11).



- Renovar o batismo significa atualizar esta consagração a Cristo Jesus mediante a fé da Igreja, renunciando com liberdade e consciência o pecado e Satanás. Novamente, decidimos ser de Cristo Jesus, viver enxertados nele e sob o seu reinado de salvação. Em Cristo Jesus vamos vencendo toda escravidão do pecado, todo tipo de sepultura e vivendo como novas criaturas.



- Neste momento teremos o batismo dos catecúmenos e também a renovação do nosso próprio batismo. Participemos com fé, pois Jesus Ressuscitado está aqui e acolhe a cada um de nós.



Cantemos: Vim para adorar-te...



Pe. Marcos Oliveira (23/04/11)

26 de abr de 2011

Vocacional 2011 na graça de Deus


Ontem estive visitando o segundo encontro do Vocacional 2011, lá na Casa Graça e Paz, sob a dirigência da Lidiane, Ministra Geral das Vocações.

São mais de vinte vocacionados. Isto significa que nosso DJC está dando passos firmes na evangelização.

Graças a Deus, percebo que o pessoal está muito animado: praticamente todos com os Temários 10, encontro ministrado com muita unção e meta, integração entre o pessoal, sobretudo entre aqueles que puderam ir para a casa já na parte da manhã, etc

Faço esta partilha porque o Vocacional tem sido a grande novidade deste ano. É a primeira vez que o mesmo sai da minha direção direta para um outro DCA, a saber, a Lidiane, que após uma grande caminhada em Cascavel, está ajudando o DJC neste momento histórico muito importante.

Que todos possam continuar intercedendo e apoiando o Vocacional, pois é daí que sairão os novos DCAs, esperança para toda vocação e missão do DJC.

Graça e Paz!

Pe. Marcos Oliveira

19 de abr de 2011

Encontro de Aliança 25/04/11



Bom dia DCAs!

Dia 25 de abril teremos Encontro de Aliança por sub-fraternidades.

Conferir a lista das sub-fraternidades no link ao lado, intitulado Discípulos Comprometidos de Aliança.

Neste dia, se possível, é importante fazer a Confraternização Pascal!

Enquanto isso, a Lidiane vai estar reunida com os Vocacionados na Casa Graça e Paz. Cada Vocacionado deverá comprar o temário do Vocacional para o Compromisso de Aliança (T10). Custa apenas R$ 8,00. Os mesmos estão à venda na loja do DJC (falar com Socorrinha).

xxx


Crescemos como discípulos no decorrer da caminhada. Por isso, sempre a gente vai colocando ou relembrando algumas orientações ou informações para a mesma. Eis mais algumas:

- O Encontro de Aliança, independentemente do número de DCAs de uma sub-fraternidade, sempre deve ter oração, Palavra de Deus, partilha, prestação de contas do organismo do DJC, encaminhamentos diversos. É sempre um encontro de irmãos que considera as quatro dimensões da espiritualidade, testemunho apostolado e eclesialidade!

- Nossa vocação e missão é ser e fazer discípulos. Então não podemos arredar pé dos passos comuns da nossa caminhada discipular, que aliás são regidos pelos nossos Estatutos. Tudo isso para que a Identidade DJC seja sempre protegida ante nossas próprias fraquezas, influências negativas e tentações demoníacas. A cooperação de cada discípulo neste sentido, sobretudo os DCAs e Servidores, é um grande bem que se faz para o conjunto da Obra!

- Nunca é demais lembrar: Apegue-se à disciplina e não a solte, pois ela é a sua vida!

- Tendo em vista a nossa vocação, as Publicações do Discipulado, sobretudo as obrigatórias, não podem faltar no decorrer da caminhada discipular. Daí ser necessário que todos vão adquirindo, pra não acontecer de passar o tempo, gastar o dinheiro com coisas menos importantres e faltar justamente para o essencial. Cada discípulo, se for organizado, tem toda condição de ir comprando essas Publicações, pois elas não são caras e vão sendo solicitadas só de tempo em tempo. Desde já, lembramos que, por questão de organização, as mesmas não serão vendidas fiado, mas só à vista.

- Os responsáveis pelos diversos organismos do DJC, sobretudo Acompanhantes, Ministros Gerais, Conselheiros e Articuladores, zelem sempre para que todos tenham em mãos as Publicações do Discipulado, sobretudo as obrigatórias, sob o risco de fugirmos do essencial da nossa vocação e missão!

- Quanto ao acompanhamento do DJC:
Eu, Pe. Marcos, acompanho mais diretamente os DCAs e Acompanhantes;
Os Conselheiros Gerais acompanham os Coordenadores de Ministérios Gerais e Articuladores
E os três Ministros Gerais acompanham comigo o conjunto do DJC.

Graça e Paz!

Pe. Marcos Oliveira

15 de abr de 2011

Reunião do Corpo de Apostolado Geral - 18/04/11

Bom dia Discípulos Servidores!

Dia 18 de abril, a partir das 19h, em plena segunda-feira santa, teremos a reunião do Corpo de Apostolado Geral, mais conhecida como reunião dos servidores.

Como de costume, a mesma vai ser realizada separadamente, cada qual no seu organismo de referência.

Tendo em vista que o Temário Vocacional (T 10) está sendo distribuído agora, estou aproveitando para relembrar nossa vocação e missão em todos os organismos do DJC.

De fato, tal vocação e missão do DJC não deve ser cultivada só pelos DCAs e Vocacionados.

De fato, a mesma interessa também aos Discípulos Servidores e todos os outros Discípulos que caminham na obra.

Sobretudo os Discípulos Servidores, são eles que ajudam o DJC a realizar a sua missão e por isso também são chamados a sempre ser discípulos e sempre fazer discípulos.

Observação: sempre que algum assunto venha a ser repetido, aqueles que já o estudaram não fiquem preocupados como se fosse perda de tempo, pois a Palavra de Deus é sempre nova para as atuais circunstâncias que estejamos vivendo.. E mais do que estudo, devemos aprofundar com mística e oração!

Roteiro do encontro:

1 – Oração inicial (Palavra de Deus: João 15)

2 – Reflexão (ir partilhando o texto das considerações iniciais do Temário Vocacional – T 10):

Vocação é essencialmente chamado de Deus ao homem:

- Vocação comum à santidade e à missão: pelo batismo, todos são chamados a ser Igreja, a viver na graça de Cristo Jesus e a evangelizar.

- Vocação específica: dentro do horizonte da grande vocação batismal, cada cristão também é chamado a viver de um modo específico.

A pessoa sente o chamado de Deus para viver como cristão de um modo específico através do exemplo de outras pessoas, na oração, pelos valores que a vão atraindo, pelo modo como o trabalho de evangelização é realizado... E não pode fugir deste chamado específico sob pena de não se realizar plenamente. A vocação que Deus faz a cada pessoa em particular tem a ver com a sua plena realização humana e cristã. Vocação acertada, futuro feliz!

O Discípulo Comprometido de Aliança, a exemplo do Apóstolo Paulo, é chamado a uma vida de espiritualidade, testemunho, apostolado e eclesialidade dentro da Fraternidade de Aliança, reavivando e desenvolvendo integralmente a sua vida cristã-batismal na perspectiva do seguimento de Jesus, ou seja, sendo discípulo de Jesus e fazendo novos discípulos, conforme a rica exortação do mesmo Jesus no Santo Evangelho:

“Eu sou a verdadeira videira , e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que não dá fruto em mim, o Pai o corta. Os ramos que dão fruto, ele os poda para que dêem mais fruto ainda. Vocês já estão limpos por causa da palavra que eu lhes falei. Fiquem unidos a mim, e eu ficarei unido a vocês. O ramo que não fica unido à videira não pode dar fruto. Vocês também não poderão dar fruto, se não ficarem unidos a mim. Eu sou a videira, e vocês são os ramos. Quem fica unido a mim, e eu a ele, dará muito fruto, porque sem mim vocês não podem fazer nada. Quem não fica unido a mim será jogado fora como um ramo e secará. Esses ramos são ajuntados, jogados no fogo e queimados.

Se vocês ficam unidos a mim e minhas palavras permanecem em vocês, peçam o que quiserem e será concedido a vocês. A glória de meu Pai se manifesta quando vocês são meus discípulos e dão muitos frutos. Assim como meu Pai me amou, eu também amei vocês: permaneçam no meu amor. Se vocês obedecem aos meus mandamentos, permanecerão no meu amor, assim como eu obedeci aos mandamentos do meu Pai e permaneço no seu amor. Eu disse isso a vocês para que minha alegria esteja em vocês, e a alegria de vocês seja completa.

O meu mandamento é este: amem-se uns aos outros, assim como eu amei vocês. Não existe amor maior do que dar a vida pelos amigos. Vocês são meus amigos, se fizerem o que eu estou mandando. Eu já não chamo vocês de empregados, pois o empregado não sabe o que o seu patrão faz; eu chamo vocês de amigos, porque eu comuniquei a vocês tudo o que ouvi de meu Pai. Não foram vocês que me escolheram, mas fui eu que escolhi vocês. Eu os destinei para ir e dar fruto, e para que o fruto de vocês permaneça. O Pai dará a vocês qualquer coisa que vocês pedirem em meu nome. O que eu mando é isto: amem-se uns aos outros.

Se o mundo odiar vocês, saibam que odiou primeiro a mim. Se vocês fossem do mundo, o mundo amaria o que é dele. Mas o mundo odiará vocês, porque vocês não são do mundo, pois eu escolhi vocês e os tirei do mundo.

O Advogado, que eu mandarei para vocês de junto do Pai, é o Espírito da Verdade que procede do Pai. Quando ele vier, dará testemunho de mim. Vocês também darão testemunho de mim, porque vocês estão comigo desde o começo”. (João 15)

Nossa vocação coincide com a nossa missão: Ser e fazer discípulos! Por isso, neste temário do Vocacional para o Compromisso de Aliança, ao mesmo tempo que abordamos o “ser discípulo”, também refletimos sobre o “fazer discípulos”, sempre em sintonia com a Identidade DJC, tendo em vista que é dentro do mesmo que queremos seguir Jesus e evangelizar.

Com essas reflexões, o vocacionado vai discernir o chamado de Deus para a sua vida, ao mesmo tempo em que vai conhecer o que é necessário para ser fiel como DCA e sobre como evangelizar e acompanhar novos discípulos em comunhão com todo DJC.

Preferimos assim, pois como já foi dito, o DJC é essencialmente um movimento católico de evangelização e nunca queremos separar a nossa vocação da nossa missão.

Tendo em vista que o DCA é um cristão que vai viver a sua vocação específica na secularidade, direcionamos nossas reflexões para o ser discípulo e missionário no seguimento cotidiano de Jesus, animado por uma espiritualidade da caminhada com o ideal de uma santidade que não se contrapõe à verdadeira humanidade, mas a abrange e a contém.

Nesse temário o discípulo-vocacionado vai ser orientado a buscar as coisas do alto com os pés no chão.  E de tal forma encaminhamos as reflexões sobre o discernimento vocacional e a própria Identidade DJC, que cada passo está concatenado com o conjunto da vida cristã-batismal e a vocação e missão específica do DJC. Basta caminhar com oração, meditação e disciplina que o caminho vai sendo feito (sobre)naturalmente. Daí vai surgindo o discernimento vocacional almejado!

Cada vocação específica, com seu estilo próprio, comporta diversos estados de vida cristã (vida laical, vida consagrada e vida sacerdotal), e também as profissões. Mas o discernimento desses estados de vida e profissões vamos deixá-lo para outro momento.

Neste vocacional, o principal discernimento será para a vocação de ser Discípulo Comprometido de Aliança no DJC, independentemente do estado de vida e profissão que já tenha abraçado ou que venha a assumir no futuro.

Este temário é direcionado para todos vocacionados. Mas é bom que os já DCAs também possam sempre estudá-lo. Que a luz da vocação de cada DCA sempre brilhe pela paz, alegria, satisfação e fidelidade ao compromisso de aliança feito com Deus dentro do DJC.

Graça e Paz!

Fraternalmente,

Pe. Marcos Oliveira

3 – Encaminhamentos

4 – Oração final


Atenção:
- Todos Servidores do DJC, inclusive aqueles que estão servindo individualmente num organismo, e também aqueles que estão servindo exclusivamente no nível geral, deverão sempre fazer as reuniões do Corpo de Apostolado Geral nas terceiras segundas-feiras, tendo em vista que isto está previsto nos nossos Estatutos justamente para salvaguardar nossa Identidade DJC, especialmente os valores da unidade, eficácia minsiterial e passos comuns da caminhada discipular do DJC como um todo.

- Além disso, essas orientações que sempre são postadas neste blog para as reuniões dos servidores deverão ser sempre lidas e consideradas, tendo em vista o exercício do meu ministério de acompanhamento geral da Obra DJC. Quando não for postada nenhuma orientação, então o responsável pelo organismo faça o discernimento e realize a reunião da melhor forma possível, atento à natureza da mesma.

- Quando acontecer de um Servidor servir a nível geral, mas também servir a nível local, na reuni]ao estatutária da terceira segunda-feira o que sempre prevalecerá é a sua presença na reunião de nível local.

Mãos e coração à obra!

Pe. Marcos Oliveira

12 de abr de 2011

DCAs por sub-Fraternidades de Aliança

Considerações Iniciais

As sub-fraternidades de aliança são formadas a partir dos Organismos do DJC: DJCs Locais, Específicos e Missões, com exceção dos Ministérios Gerais de Assistência ao Ministério Geral de Acompanhamento, a saber: Ministério Geral de Reavivamento, Ministério geral de Desenvolvimento Integral e Ministério Geral das Vocações.  

O DCA pertence à sub-fraternidade de aliança do organismo no qual está servindo, a saber: primeiro por DJCs Locais, depois por Específicos e em terceiro lugar por Missão. 

Ou seja: se um DCA serve em um DJC Local, em um Ministério Geral e em uma Missão, a sua sub-fraternidade será a do DJC Local. Caso sirva em um Ministério Geral e em uma Missão, a sua sub-fraternidade será a do respectivo Discipulado ou Apostolado Específico ao qual o Ministério Geral pertence. E se serve somente em uma Missão, logicamente, a sua sub-fraternidade de aliança será a da Missão.

Uma vez servindo em um Organismo, o DCA deverá fazer uma kenósis semelhante à de Cristo Jesus, que se humilhou mesmo e se encarnou no meio dos seus para levá-los à vida nova(Fil 2,1-11). O DCA deve marcar presença, integrar-se nas reuniões e eventos, visitar e conversar com os companheiros de serviço e com aqueles que estão sob a sua responsabilidade, orar com eles e interceder por eles, ministrar o acompanhamento personalizado, cultivar a Identidade DJC e as quatro dimensões da vida cristã-batismal, etc Em suma, deverá SER e FAZER discípulos!

Por isso tudo, caso não consiga servir em mais que um Organismo, então entra o discernimento para servir só em um. Porém, como se trata de DCA, então o discernimento do Acompanhante Geral também deverá ser considerado, pois a Obra pode precisar do serviço de um DCA em determinado Organismo, e não necessariamente naquele aonde ele queria servir em primeiro lugar.

A este respeito, sobre servir em um só Organismo, lembramos que quem serve em um DJC Local sempre será simultaneamente de um Discipulado ou Apostolado Específico, e sempre deverá dar os passos locais e gerais. Pois o nível Específico sempre é local ou geral, e nunca é só específico.  Exemplo: Quem é do Ministério de Acolhimento de um DJC Local, sempre também o será do Apostolado da Infraestrutura, embora seu Ministério não seja geral, mais local. 

O sacrifício de cada um constrói esta obra. Esta obra é de Jesus e tão somente quer lhe ajudar a salvar a humanidade nos dias de hoje, sendo e fazendo discípulos. É justo que cada DCA assuma sempre a sua parte na missão, de acordo com a sub-fraternidade de aliança na qual está caminhando, sempre tendo como referência os nossos Estatutos e tudo o mais com ele relacionado.

Nossos Estatutos contém a nossa Identidade DJC e ao mesmo tempo preserva-a de toda distorção que possa vir a acontecer no decorrer da caminhada. Por isso eles são tão importantes e sempre devem ser lidos, relidos e rezados por cada DCA.

Não podemos ficar só na espera, nem podemos a primeira mochila a jogar fora ser a do DJC, e nem podemos ficar fazendo de tudo. O certo é que cada um assuma a sua responsabilidade, saiba se colocar e caminhar dentro da Obra naquilo que lhe é próprio e não ficar sempre cobrando e às vezes não assumindo o mínimo do seu dever. Por isso as sub-fraternidades de aliança são importantes para a nossa vida, missão e organização, a fim de que possamos continuar frutificando para a glória de Deus Pai, sem uns se cansarem muito e outros ficarem às vezes só se escorando.

Finalizando, repito: Os DCAs são os primeiros responsáveis pelo DJC. Cada DCA caminha em uma sub-fraternidade de Aliança. Esta é formada a partir dos que servem nos respectivos organismos (a organização prioriza primeiro os DJCs Locais, depois os Específicos e por último as Missões). Na sub-fraternidade todos devem se ajudar na vida e na missão do respectivo organismo. Cada qual se sacrificando e se compreendendo, indo além do seu mundinho e enxergar a realidade do outro, mais sem gerar escoramentos, pois é justo que todos assumam o compromisso de aliança prá valer!

xxx

 DCAs por sub-Fraternidades tendo como referência a Celebração da Aliança de 23 de janeiro de 2011:

- Ministério Geral de Acompanhamento:
Pe. Marcos Antonio de Oliveira (Acompanhante Geral)


- Ministério Geral de Reavivamento:


 - Ministério Geral de Desenvolvimento Integral:
Francisco Edmar de Sousa (Ministro Geral)
Joênio Mariano da Silva (Formador)


Ministério Geral das Vocações:
Lidiane Coelho Gondim (Ministra Geral)



- Discípulos Comprometidos de Aliança da sub-fraternidade do Apostolado Geral da Bênção

Leila Maria de Sousa Lemos (Conselheira Geral)



- Discípulos Comprometidos de Aliança da sub-fraternidade Apostolado Geral das Artes

Sheila Maria Sales (Conselheira Geral)



- Discípulos Comprometidos de Aliança da sub-fraternidade DJC Fortaleza

Antonieta Souza Lima

Aureniza Linhares Gonçalves

Claudia Maria Bezerra de Lima

Francisco Ercílio Ferreira

Francisca Barbosa de Sousa

Francisca Lúcia Tavares Jucá

José Ferreira de Freitas

Marlene Costa Ferreira

Maria Elisane Felipe de Sousa

Maria Evanda de Freitas

Maria de Fátima Santos Rodrigues

Maria Lucicleide de Sousa Silva

Maria do Socorro Ribeiro

Maria do Socorro Santos de Lima

Raimunda Lopes Sousa

Valdemar da Silva

Zuleide Lima da silva (Acompanhante Local)



- Discípulos Comprometidos de Aliança da sub-Fraternidade DJC Cascavel

Francisco Silva Lima (Acompanhante Local)

José Luciê Alves de Freitas

Joana Pereira Mourão Gonçalves (á espera da renovação do Compromisso de Aliança)

Maria Edilma Sabóia Santos



- Discípulos Comprometidos de Aliança da sub-fraternidade DJC Palmácia

Jaquelândia Barros da Silva

Maria Edinelda de Sousa Gomes (Acompanhante Local)

Vera Lúcia Lúcio

Roberlândia Maria de Sousa Rodrigues

José Eduardo Fernandes de Oliveira

Lourdirene Ananias de Sousa



- Discípulos Comprometidos de Aliança da sub-fraternidade DJC Pacoti

Antonio Ferreira de Souza

Andrelina Rosa de Oliveira de Souza (Acompanhante Local)

Francisca Graziela Martins Bezerra



- Discípulos Comprometidos de Aliança da sub-fraternidade DJC Rio Branco

Renata Naira de Oliveira (Acompanhante Local)

Cristiane



- Discípulos Comprometidos de Aliança da sub-fraternidade DJC Manoel Sátiro

Maria de Fátima Gondim Braga

Rizete Marques de Paiva (Acompanhante Local)

Maria do Carmo Pereira

Francisco Nogueira da Silva

Atenção DCA ...

Seu sacrifício constrói esta obra!

Cada um assumindo o seu serviço com parresia e determinação fica mais suave para todos.

É justo que todos façam a sua parte.

Mãos e coração à obra!

8 de abr de 2011

Temário do Vocacional - T10

Preço: R$ 8,00

Venda nas Publicações do Discipulado
Falar com Socorrinha


Considerações Iniciais

 Vocação é essencialmente chamado de Deus ao homem:

 - Vocação comum à santidade e à missão: pelo batismo, todos são chamados a ser Igreja, a viver na graça de Cristo Jesus e a evangelizar.

- Vocação específica: dentro do horizonte da grande vocação batismal, cada cristão também é chamado a viver de um modo específico.

A pessoa sente o chamado de Deus para viver como cristão de um modo específico através do exemplo de outras pessoas, na oração, pelos valores que a vão atraindo, pelo modo como o trabalho de evangelização é realizado... E não pode fugir deste chamado específico sob pena de não se realizar plenamente. A vocação que Deus faz a cada pessoa em particular tem a ver com a sua plena realização humana e cristã. Vocação acertada, futuro feliz!

O Discípulo Comprometido de Aliança, a exemplo do Apóstolo Paulo, é chamado a uma vida de espiritualidade, testemunho, apostolado e eclesialidade dentro da Fraternidade de Aliança, reavivando e desenvolvendo integralmente a sua vida cristã-batismal na perspectiva do seguimento de Jesus, ou seja, sendo discípulo de Jesus e fazendo novos discípulos, conforme a rica exortação do mesmo Jesus no Santo Evangelho:

“Eu sou a verdadeira videira , e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que não dá fruto em mim, o Pai o corta. Os ramos que dão fruto, ele os poda para que dêem mais fruto ainda. Vocês já estão limpos por causa da palavra que eu lhes falei. Fiquem unidos a mim, e eu ficarei unido a vocês. O ramo que não fica unido à videira não pode dar fruto. Vocês também não poderão dar fruto, se não ficarem unidos a mim. Eu sou a videira, e vocês são os ramos. Quem fica unido a mim, e eu a ele, dará muito fruto, porque sem mim vocês não podem fazer nada. Quem não fica unido a mim será jogado fora como um ramo e secará. Esses ramos são ajuntados, jogados no fogo e queimados.

Se vocês ficam unidos a mim e minhas palavras permanecem em vocês, peçam o que
quiserem e será concedido a vocês. A glória de meu Pai se manifesta quando vocês são meus discípulos e dão muitos frutos. Assim como meu Pai me amou, eu também amei vocês: permaneçam no meu amor. Se vocês obedecem aos meus mandamentos, permanecerão no meu amor, assim como eu obedeci aos mandamentos do meu Pai e permaneço no seu amor. Eu disse isso a vocês para que minha alegria esteja em vocês, e a alegria de vocês seja completa.

O meu mandamento é este: amem-se uns aos outros, assim como eu amei vocês. Não existe amor maior do que dar a vida pelos amigos. Vocês são meus amigos, se fizerem o que eu estou mandando. Eu já não chamo vocês de empregados, pois o empregado não sabe o que o seu patrão faz; eu chamo vocês de amigos, porque eu comuniquei a vocês tudo o que ouvi de meu Pai. Não foram vocês que me escolheram, mas fui eu que escolhi vocês. Eu os destinei para ir e dar fruto, e para que o fruto de vocês permaneça. O Pai dará a vocês qualquer coisa que vocês pedirem em meu nome. O que eu mando é isto: amem-se uns aos outros.

Se o mundo odiar vocês, saibam que odiou primeiro a mim. Se vocês fossem do mundo, o mundo amaria o que é dele. Mas o mundo odiará vocês, porque vocês não são do mundo, pois eu escolhi vocês e os tirei do mundo.

O Advogado, que eu mandarei para vocês de junto do Pai, é o Espírito da Verdade que procede do Pai. Quando ele vier, dará testemunho de mim. Vocês também darão testemunho de mim, porque vocês estão comigo desde o começo”. (João 15)

Nossa vocação coincide com a nossa missão: Ser e fazer discípulos! Por isso, neste temário do Vocacional para o Compromisso de Aliança, ao mesmo tempo que abordamos o “ser discípulo”, também refletimos sobre o “fazer discípulos”, sempre em sintonia com a Identidade DJC, tendo em vista que é dentro do mesmo que queremos seguir Jesus e evangelizar.

Com essas reflexões, o vocacionado vai discernir o chamado de Deus para a sua vida, ao mesmo tempo em que vai conhecer o que é necessário para ser fiel como DCA e sobre como evangelizar e acompanhar novos discípulos em comunhão com todo DJC.

Preferimos assim, pois como já foi dito, o DJC é essencialmente um movimento católico de evangelização e nunca queremos separar a nossa vocação da nossa missão.

Tendo em vista que o DCA é um cristão que vai viver a sua vocação específica na secularidade, direcionamos nossas reflexões para o ser discípulo e missionário no seguimento cotidiano de Jesus, animado por uma espiritualidade da caminhada com o ideal de uma santidade que não se contrapõe à verdadeira humanidade, mas a abrange e a contém.

Nesse temário o discípulo-vocacionado vai ser orientado a buscar as coisas do alto com os pés no chão.  E de tal forma encaminhamos as reflexões sobre o discernimento vocacional e a própria Identidade DJC, que cada passo está concatenado com o conjunto da vida cristã-batismal e a vocação e missão específica do DJC. Basta caminhar com oração, meditação e disciplina que o caminho vai sendo feito (sobre)naturalmente. Daí vai surgindo o discernimento vocacional almejado!

Cada vocação específica, com seu estilo próprio, comporta diversos estados de vida cristã (vida laical, vida consagrada e vida sacerdotal), e também as profissões. Mas o discernimento desses estados de vida e profissões vamos deixá-lo para outro momento.

Neste vocacional, o principal discernimento será para a vocação de ser Discípulo Comprometido de Aliança no DJC, independentemente do estado de vida e profissão que já tenha abraçado ou que venha a assumir no futuro.

Este temário é direcionado para todos vocacionados. Mas é bom que os já DCAs também possam sempre estudá-lo. Que a luz da vocação de cada DCA sempre brilhe pela paz, alegria, satisfação e fidelidade ao compromisso de aliança feito com Deus dentro do DJC.

Graça e Paz!

Fraternalmente,

Pe. Marcos Oliveira

5 de abr de 2011

Vocação: chamado de Deus



“Não fostes vós que me escolhestes mas eu que vos escolhi" (Jo 15,16)



O tema vocação é profundo e muito abrangente, uma vez que Deus está sempre a nos chamar. Ao sermos gerados, Deus nos concede nossa primeira vocação, que é o chamado à vida. Em seu desígnio de amor, chama-nos também à filiação divina, à santidade e a uma vocação específica, através da qual amaremos e serviremos mais e melhor a Ele, à Igreja e aos homens. Na verdade, até no momento da nossa morte Deus está nos chamando, e que grande chamado o dessa hora: habitar eternamente na casa do Senhor.



Partindo do significado etimológico, a palavra vocação vem do verbo latino "vocare", que significa "chamar", ou seja, toda vocação compreende um chamado. Assim, toda vocação comporta aquele que chama (Deus) e aquele que é chamado (o homem). Só que, ao chamar, Deus, antes de pedir Ele dá. Deus chamando o homem lhe dá a vida, a existência, e com a vida, dá-lhe também a liberdade.



Depois de ter chamado o homem para a vida, Deus torna a chamá-lo, porque há muitas coisas que Deus deseja fazer no mundo através do homem. Deus não quer mais agir sozinho. Por isso, quando Deus chama, Ele chama para pedir alguma coisa, confiar alguma missão.



Podemos dizer que, vocação é a oferta divina que exige uma resposta e um compromisso com Deus. Nesta definição percebemos três aspectos:



1. oferta (chamado) de Deus;

2. resposta do homem;

3. compromisso com Deus e com o irmão



Por isso que a resposta do homem deve ser constantemente reassumida. É no dia-a-dia que se deve ir fazendo caminho e assumindo os riscos do nosso SIM.



A vocação precisa de trato diário: conversão, oração, busca de Deus e assim nos despojarmos do homem velho, dos milindres que entrevam nossas vidas, que acorrentam a nossa historia e nos impede de darmos nosso passos em direção ao chamado de Deus de sermos santos como Ele é Santo, pois "nossa" vocação não é para nós. o Chamado de Deus é para que nos coloquemos a serviço do outro.



Precisamos ser testemunhas, homens e mulheres que se deixam seduzir por Deus e com coerência corresponder aos anseios do que Deus pede de nós.



Nosso sim precisa ir ganhando segurança, certeza, pois a nossa vocação e os dons de Deus são irrevogáveis. Precisamos vivê-la!O Deus que chama é o mesmo Deus que capacita e que nos prometeu sua presença até os confins dos dias. Não dar para pararmos frente as nossa limitações ou simplesmente vivê-la de qualquer jeito ou simplesmente justificar aquilo que não fizemos. Chega de covardia frente ao nosso chamado.



Se olharmos para nossa história, vamos ver que Deus chamou a cada um de nós que estamos no DJC e nos deu uma vocação que corresponde também a nossa missão: "Ser e formar discípulos". Confiou-nos o seu projeto de salvação, tem correspondido aos nossos anseios e agora é hora de nós darmos nossa resposta. Agora é a hora de encarnarmos o nosso chamado e não poupar esforços para alcançar os objetivos propostos.



Leila Lemos